Skip to content

tipo 7.

16/03/2011

Mesmo sendo meu último dia, mesmo sendo apenas mais um dia. Mesmo vivendo por apenas mais 24 horas, mesmo tendo meus segundos contados e pré determinados, ainda assim eu seria a mesma.

A mesma garota beirando seus 22 anos, com o mesmo tom de voz, usando sempre pouca maquiagem, com o mesmo nariz e o mesmo tamanho. Ainda assim estaria morando com meus pais, tendo os mesmos amigos, sendo suficiente somente uma mão para contá-los.

O otimismo eterno estaria aqui. O humor aguçado e a falta de delicadeza na maior parte das vezes, não me abandonaria.

Continuaria apostando na sinceridade e no amor. Viveria imaginando como será o amanhã mas não deixaria de aproveitar o hoje. Choraria no estress e teria vontade de gritar algumas vezes.

Sumiria desse mundo e voltaria um segundo depois. Continuaria dando bom dia pro sol todas as manhãs que ele desse o ar da sua graça.

Continua sorrindo mesmo triste e vivendo mesmo morrendo.

Diria mais uma vez o quanto amo meus pais e assumiria novamente meu amor por Ele e se fosse preciso daria adeus ao meu eu para que uma nova Tatiane nascesse no segundo seguinte.

 

Anúncios

em silêncio.

09/03/2011

Acordei com vontade de conversar, mas não abrir a boca pra isso.

Acordei com vontade de estar mais perto de Deus, de ouvir mais sobre Ele, com vontade de falar, com Ele.

Sabe aquela vontade subita de parar o que está fazendo e conversar? Foi assim, tive vários momentos desses hoje.

Um zilhão de coisas, como se tivesse um monte de novidades pra contar pra uma amiga que não vejo a anos. Me senti insignificante diante de Deus, me senti pequena com minhas futilidades, mas a vontade de conversar com Ele não passou, só cresceu.

Tinha tanta coisa pra perguntar, tantas dúvidas, tantos sonhos pra compartilhar, tantas metas e tantas alegrias que Ele mesmo tem me proporcionado e eu, nem de agradecer fui capaz.

Pensei sobre o impensável, sorri ao lembrar da noite anterior com as amigas e pela primeira vez não tive medo da morte.

Sonhei com o futuro, sonhei com o que estaria no meu futuro. Me alegrei com o presente e agradeci pelo momento.

Não emiti nenhum ruido, foi uma conversa silenciosa. A melhor conversa.

Pretendo ter mais como essas, descobri que palavras faladas não são necessárias quando se existe um Deus que tem total acesso a nossos pensamentos.

Vou ali, preciso perguntar umas coisas pro meu mais novo velho amigo.

Para os que ficam:

Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”

caminho.

22/12/2010

Já me perdi dirigindo um carro diversas vezes. Não sou a única, pois a maioria dos motoristas também se perde. A sensação de não saber onde estamos e para onde ir não é nada agradável, ficamos confusos e diante das circunstâncias começamos a temer se iremos conseguir chegar na hora marcada, se o combustível irá ser suficiente e uma infinidade de coisa começa a nos passar pela cabeça. Um conselho simples é que antes de sair de casa devemos conferir se temos mapa ou as direções corretas e melhor ainda seria ter no carro um GPS, um pequeno aparelho conectado a satélites que indica exatamente onde você está.

 

Em minha vida não fiquei perdida nem uma ou duas vezes diante de escolhas que tinha que fazer, a sensação me amedrontava e o medo de fracassar me fazia não tomar decisão alguma. Por não saber qual rumo seguir, acreditava que a opção correta era sentar e esperar que as coisas se resolvessem sozinhas, mas isso nunca aconteceu e se dependesse desta atitude para algo acontecer estaria sentada até hoje.
Muitas vezes nos esquecemos em quem devemos confiar nossas escolhas e só depois de perdermos muito tempo dando voltas desnecessárias é que lembramos que devemos confiar em Deus, que Ele é quem deve ir à frente e como diz em Provérbios 3:5: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento.”
Existem métodos alternativos para chegarmos há algum lugar, mas nenhum método é tão confiável como ter o Senhor como guia, permitindo que Ele seja o nosso GPS indicando o caminho e qual rumo tomar. Caminho este que não existe desvio para nos confundir, empecilhos que irá nos atrapalhar porque é Deus quem efetua em vós tanto o querer como realizar, segundo a sua boa vontade.” (Filipenses 2:13).
Nossas escolhas devem estar firmadas no Senhor, o amor dEle lança fora todo o medo, com Ele o fracasso é algo que não existe, pois até quando achamos que está tudo errado Ele mostra o seu poder demonstrando quem nos guia na direção correta. Os nossos rumos devem seguir os rumos do Pai, pois quem vive sem o rumo Deus não ruma para lugar nenhum.

Texto de Aila Theodoro. (http://naomordamaca.com/2010/12/22/gps-celestial)

 

namora comigo?

27/11/2010

– Então, o que preciso ter pra ser teu namorado?
– Não precisas ter, precisas ser!
– Então me diz, o que eu preciso ser pra que eu possa te ter só pra mim?
Tu nunca me terás. Se junto um dia ficarmos, SEREMOS juntos, entende?
– Entendo!
– Tu roncas?
– Não!
– Tu tens um trabalho em que eu possa admirar-te?
– Tenho!
– Bebe vinho-tinto-seco argentino?
– Meu predileto!
– 1 ou 2 garrafas?
– 1 pra mim e outra pra ti!
– Tu gostas de tecnologia?
– Queres meu IPad emprestado? Me salvo uns dias com meu Android.
– Conseguirias me acompanhar até as seis da manhã em uma balada de rock antigo?
– Seis da manhã? Cedo! E depois? Continuamos a cerveja e o papo na casa de quem?
– Tenis, agasalho e cabelo preso no cinema te incomoda?
– Chique é ser simples. E tu sem salto fica a baixinha mais linda que eu conheço!
– Ficarias uma tarde comigo na Livraria Cultura?
– Só se tiver Starbucks dentro da livraria.
Tu tomas café?
– Não suporto. Starbucks porque o milk shake deles é perfeito.
– Ótimo. Eu também odeio! Se eu chegar em casa falando de trabalho?
– Vou discutir contigo se é certo ou errada a postura da matriz com o canal de vendas… Ou se vale realmente a pena investir nesta oportunidade de venda.
– Viagens ou carros caros?
– Viagens!
– Inglês ou espanhol?
– Inglês!
– Praia ou montanha?
– Montanha!
– Ciumento?
– Um pouco. Sem showzinhos.
– Se eu quiser virar a noite trabalhando?
– Te sirvo coca-cola as 3 da manhã pra te ajudar a ficar ligadona.
– Acordar cedo?
– Só se for o cedo de depois do almoço!
– Minhas amigas?
– Para as solteiras eis os meus amigos solteiros!
– Minha família?
– Minha companhia aos almoços de domingos.
– Tua mãe?
– A tua segunda mãe!
– O que é segredo meu …
– Continua sendo teu. Se me contares, vai continuar sendo segredo, só que nosso!
– Traição?
– Uma questão de caráter!
– Tua ex?
– Se fosse boa não seria ex!
– Meus amigos homens?
– Jogam futebol? Tô precisando ocupar minha 3a feira de noite!
– Jantar fora?
– Te busco. Pago a conta. E eu escolho o lugar e o prato.
– Não sei cozinhar.
– E? O combinado não era tu fazeres as perguntas? Isso é uma afirmação… Que eu não me importo nem um pouco, diga-se de passagem
– TPM?
– Não mexo com quem tá quieta!
– Minha liberdade?
– Começa aonde a minha termina.
– Saudade?
– Pra ser saciada. Necessária.
– Brigas?
– Te beijo no meio delas.
– Deus?
– O Cara que vai cuidar da gente sempre.
– Meus domingos e meus cultos.
– Não vou contigo, prefiro que vá sozinha. Sei que tu preferes também!
– Bíblia?
– Tu me ensinas a entendê-la?
– O Espírito Santo capacita os incapacitados…. Rotina?
– Eu mudo meu nome no teu celular. Quer chegar em casa e encontrar o moço tímido ou o festeiro inconsequente?
– Teu trabalho, tua carreira, tua profissão?
– Meu combustível.
– Tua família?
– Meu orgulho!
– Eu doente …
– Cuido de cada centímetro teu.
– Tu doente?
– Dirigi meu carro até o hospital pra eu tomar soro?
– Fico contigo a noite toda se preciso for.
– Então quer dizer que tô aprovado?
– Se quiseres entender assim, não direis que estás errado.
– Apaga o último post do blog?
– Não! No meu blog ninguém mexe.
– Ok! Não está mais aqui quem falou!
– Twitter, facebook e orkut também não. E meu e-mail é pessoal, com senha e login intransferível.
– Namora comigo?
– Quem faz pergunta aqui sou eu!
– Então me pergunta.
– Eu não! Vai embora e eu vou pro meu apartamento.
– Como assim? Em qual parte eu errei.
– Perfeito demais. Preciso de defeitos!

 

jamilegomes.wordpress.com 🙂

sacola.

09/11/2010

Cheguei a conclusão que o ônibus é o melhor lugar para se pensar sobre tudo, principalmente sobre a vida.
Em mais um dia rotineiro, indo para faculdade vi do lado de fora do ônibus uma sacola plástica vazia voando pelo asfalto. Imediatamente fiquei pensando sobre como nós poderíamos ser comparados com uma simples sacola plástica.
Qual a função de uma sacola? Basicamente serve para carregar objetos, alimentos e afins, certo?
Sim, nós somos como sacolas.
A gente tem a capacidade incrível de armazenar milhares de coisas, principalmente, sentimentos.
Sacola útil é sacola cheia. E é assim que devemos ser, cheios.
Mas digo, cheios de sentimentos bons, cheios de otimismo, cheios de sorrisos, cheios de amigos, cheios de vida e não cheios de sentimentos negativos, que são como aqueles objetos que só servem pra ocupar espaço numa sacola.
Esse tipo de sentimento deve ser descartado, jogado fora o quanto antes.
Fomos feitos para sermos plenos, para sermos sacolas cheias mas, cheias de sentimentos positivos.
Livre-se o quanto antes do que não tem serventia na sua sacola, faça uma limpa antes que ela se rasgue e voe vazia pela rua.

mascara.

28/10/2010

 

 

 

Pra variar, mais uma vez ela estava atrasada e pra completar, entrou toda desajeitada na sala, ofegando e com o penteado tão demorado pra ser feito, bagunçado.

Ele já estava lá, com aquele jeito misterioso que aguçava sua curiosidade. Pra não perder o costume, ele nem ao menos se mexeu e ela tinha tanta raiva disso! Como ele poderia ser tão lindo assim, de chinelos, bermuda e uma camisa velha e surrada? Como podia ela ter passado maquiagem, apelado pra chapinha, colocado seu melhor jeans e ele nem sequer levantar os olhos daquele bendito livro?

Ela? Ela queria ser aquele livro. Ter uma história interessante aos olhos dele. Prender atenção dele de alguma forma.

Mas, a desastrada – como sempre – sentou ao lado dele. Esbarrou nele sem querer – JURO! – e pediu desculpas. Ele? Apenas sorriu, aquele sorriso educado e indiferente.

Ela o odiava, fato.

Queria puxar assunto, queria bater nele por nem perceber sua existência, queria abraça-lo porque ele era lindo e, diferente.

Mas não, como sempre ela não fez nada disso. Ficou ali, perdida nos próprios pensamentos, somente a imaginar.

Chegou em casa cansada do dia, se olhou no espelho e se viu linda, com maquiagem ainda, com o cabelo liso quase intacto e seu jeans perfeitamente moldado, mas a sua beleza era diferente, era triste. Como uma máscara.

Descobriu então, que aquilo visto no espelho não era ela e sim algo que ela criou para impressionar os outros.

 

No outro dia, chegou atrasada de novo e nem sequer ousou olhar para ele.

Sentou ao seu lado, tomando todo cuidado do mundo para não esbarrar nele novamente e ficou ali, lendo sem se preocupar.

Estava tão distraída e justamente nesse dia ela resolveu ir vestida dela mesma. O cabelo meio ondulado estava solto naturalmente, usava uma blusa branca e uma calça leve, nos pés o velho chinelo e sem medo de estar na moda ou não, estava do jeito dela mesma, sem se preocupar, apenas livre.

E então o inesperado aconteceu, um oi jamais dito veio da boca dele. Uma conversa jamais iniciada estava ali, simplesmente acontecendo.

Era ele, falando com ela, conversando com ela e acredite, ele elogiou sua aparência, disse que jamais tinha visto ela tão linda.

O que aconteceu depois? Qual foi a conversa? Não se sabe, ela não lembra. Só lembra de ter tido a belíssima ideia de ser ela ao invés de ser o que esperam que ela seja e ficou feliz por ter guardado as mascaras no fundo do guarda-roupas.

bus.

27/10/2010

 

Ontem, sentada no ônibus indo para faculdade, fazendo o mesmo trajeto rotineiro, escutando basicamente as mesmas músicas, eu me deparo com uma casa. Uma casa que nunca tinha reparado, uma casa nova pra mim, mas que com certeza já está no mesmo lugar a anos. Uma casa linda, diga-se de passagem!

Daí me lembrei de Deus.

Me lembrei do quanto as vezes eu esqueço de olhar, de reparar ou de lembrar Dele.

Quantas vezes Ele passa despercebido no meu dia, quantas vezes Ele se faz presente, mas eu ignoro, finjo não ver ou me foco em outras coisas.

Isso foi com um clique, daqueles que te fazem voltar para a realidade sabe?

Li a um tempo atrás num site que o propósito de Deus para as nossas vida se resume em uma palavra: VIVA.

Mas viver é simples e ao mesmo tempo complexo. Viver é mais do que esperar às 24 horas do dia passarem.

Viver é fazer das 24 horas do dia um dia único, um dia notável e inesquecível.

Parece tão simples falar né? E o agir?

O agir vem de dentro, o agir só acontece quando não nos esquecemos dEle, quando reparamos que Ele está ali em todos os momentos, quando o vemos ou o sentimos nessas 24 horas que Ele, com toda a bondade nos presenteia.

Então repare, veja, ouça, sinta, foque!